Hilda Alão

Escrever é uma forma de amar.

Textos

O SONHO DO SAPO (cordel infantil)
Que bom se uma menina
Elegante e fina
Meu canto escutasse
E de leve me beijasse

Para que príncipe eu virasse.
Ficou louco? Acorda, sapo!
Isso é uma bela história
Da dona carochinha.

Sapo é sapo, fim de papo,
Vivendo na lagoa ou no rio,
E eu te acho muito guapo
Adoro o teu vozeirão.

Sapinha danadinha
Não queira você mudar
Minha forma de sonhar
Príncipe serei um dia

Ao me beijar uma mocinha.
Pode esperar ao sol,
Até falar espanhol
É mentira da carochinha

Sapo não vira príncipe
Nem aqui nem na China.
Mas que sapinha invejosa
Só diz palavras horrorosas

Verás que ao entardecer,
Antes do sol se esconder,
Virá a bela Mirinha
Com sua fada madrinha

Para o meu sonho realizar.
Pois sim! Eu pago pra ver
Esse fato acontecer
E muito irás chorar

Pelo impossível desejar.
E à tardinha chegou à lagoa
A mocinha a cantar,
E ao ver a linda pessoa

Pôs-se a coaxar o sapo
Estufando seu papo.
Olhando para o bichinho
Com um estranho beicinho

Disse a menina Mirinha:
Que sapo mais feio!
E chegou batendo a asinha
A borboleta em volteio

Dizendo bem alto:
Contente-se com a sua forma
Não queira mudar a natureza.
Existe tanta beleza

No seu modo de servir
Controlando os insetos,
E isso eu posso garantir
Nenhum príncipe faz.

24/07/11
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 24/07/2011


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras