Hilda Alão

Escrever é uma forma de amar.

Textos

OH MÃE!
Na cabeça as mechas nevosas,
Nos ombros os feitos do passado,
Recordavas os dias de ventre inchado
Gerando tantas crianças formosas.

Oh mãe, quantas lembranças saudosas!
Eras um boiadeiro tocando o gado,
Sem deixar uma rês perdida no prado,
Evitavas estradas perigosas.

Conduziste o rebanho todos os dias
Com teu aboio suave, muita firmeza.
Sofrias e choravas, lambias as crias

Se uma se desgarrasse indefesa.
Na volta, teus olhos eram mar de alegrias
Ressaltando do teu rosto a beleza.

Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 13/05/2006
Alterado em 13/05/2006


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras