Hilda Alão

Escrever é uma forma de amar.

Áudios


O ADEUS DA COBRA MARIZÉ
Estou partindo, meus amigos,
da beira dessa maré.
Vou pra outras bandas,
adeus amigo jacaré!
Perdi o baile, o vestido e a fé
na arte do Corujão
que não soube costurar à mão
o meu vestido cor-de-limão.
Não tenho raiva não,
apenas desilusão,
 eu só queria abafar
rodando pelo salão.
Pra onde eu vou é um colosso,
tem invertebrado e bicho de osso
Quem sabe  eu encontre um famoso
Costureiro que não seja "escamoso"
Pra costurar um outro vestido,
na minha trouxinha escondido.
O modelo é inusitado
próprio para ser executado
em algodão já encolhido
na cor vermelha tingido.
Adeus,
 Estou indo pro mato viçoso
onde tudo é bonito e gostoso.
Adeus amigo jacaré formoso
vou pro pantanal do Mato Grosso.

18/03/06.
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 18/03/2006




Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras